Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contos e ditos

A escrita é aquilo que eu sou. Por vezes, escrevo contos, outras vezes desabafos, um ou outro texto breve, alguns dias, poemas. Eu encontro-me na prosa, perco-me na poesia. Sempre de um jeito livre, simples e despretensioso, porque eu sou assim.

Contos e ditos

A escrita é aquilo que eu sou. Por vezes, escrevo contos, outras vezes desabafos, um ou outro texto breve, alguns dias, poemas. Eu encontro-me na prosa, perco-me na poesia. Sempre de um jeito livre, simples e despretensioso, porque eu sou assim.

24
Jan19

A fuga

Inês Aroso

_mare.jpg

Desmoronar. Não é um verbo. Não é uma palavra apenas. É quando a realidade nos apaga os sonhos. Como se eles fossem desenhados a lápis. Ou um castelo de cartas que cai. Fácil e rápido, mas não indolor. De repente, os sonhos são uma folha em branco que vemos sempre que abrimos os olhos ou um monte de estilhaços de vidro que nos ferem sempre que caminhamos. 

É preciso uma coragem tremenda para ousar desenhar ou construir um novo castelo de sonhos. Não a tenho ainda, confesso. Talvez um dia, consiga... Agora, deixa-me chorar, deixa-me gritar, deixa-me fugir, deixa-me curar as feridas. Eu volto... Como o mar.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.